17 de out de 2013

Resenha - Divergente e Insurgente

Olá,
 falta pouco para o lançamento de Allegiant e por isso a resenha de hoje é dupla, resenha de Divergente e Insurgente.

Divergente


Autor: Veronica Roth
Páginas: 502
Editora: Rocco

Sinopse:

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.

A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.

E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Resenha:

Beatrice (ou Tris) vive em uma Chicago diferente da que conhecemos. Ela vive em uma sociedade dividida em facções, que refletem as características das pessoas que vivem nela.
Cada facção recebe o nome de acordo com o setor da comunidade da qual é responsável, são elas Abnegação, Franqueza, Audácia, Amizade e Erudição.
Tris nasceu na Abnegação onde todos comem a comida mais simples, vestem a roupa mais simples e abrem mão de qualquer conforto. Em sua casa todos usam um uniforme cinza e abrem mão dos bens materiais. Sua missão é ajudar aos outros, sempre, mesmo que pra isso precise deixar suas vontades de lado.
Sempre ao completar 16 anos as pessoas de Chicago passam por um teste de aptidão e escolhem sua facção em uma grande cerimônia. Para Tris o grande dia se aproxima. Beatrice e seu irmão,Caleb, fazem o teste no mesmo dia e a regra é: "Facção antes do sangue."  
O exame de Tris revela um resultado imprevisto: ela não pertence a nenhuma facção, ela é Divergente e agora corre grande perigo.
Mesmo sem saber o que realmente significa ser uma Divergente precisa esconder de todos o que é, pois não sabe ao certo o que pode acontecer a sua vida.
Tris escolhe sua facção, aquela a qual acha pertencer e nessa conhece Quatro, um cara não muito 'bonzinho' que não da descanso a seus iniciados.

Li o livro em 2 dias de tão envolvente, Veronica Roth sabe bem o que faz e criou vários personagens muito marcantes. Divergente é um livro distópico muito bem escrito e muito bem narrado. 

Frases:

"Acredito nos atos simples de bravura, na coragem que leva uma pessoa a se levantar em defesa da outra."

"Os humanos não conseguem tolerar o vazio por muito tempo."

"Os costumes das facções ditam até como devemos nos comportar nos momentos de inatividade e estão acima das preferências individuais."

Insurgente


Autor: Veronica Roth
Páginas: 512
Editora: Rocco

Sinopse:

Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor. 

Resenha:

(Prometo que vou tentar fazer essa resenha sem muitos spoiler pra quem ainda nem leu Divergente.)

O sistema de facções está abalado. Tris precisa ver a sociedade em que vive se desfazendo e não sabe o que fazer, após tantas coisas ruins e mortes significativas ela começa a se sentir vulnerável.
Amizade e Franqueza abrigam os membros que sobraram da Abnegação, mas não querem se envolver diretamente no embate.
Caleb não tem sido o melhor irmão e nem a melhor pessoa.
O relacionamento de Tris e Tobias não está em seus melhores momentos, os dois começam a discutir quase sempre e parecem desconfiar um do outro. 

Mais uma vez Veronica Roth nos deixa sem fôlego, Insurgente pode ser chamado de "o livro das revelações". Muitas reviravoltas e um fim surpreendente. 

Frases:

"A verdade costuma mudar os planos das pessoas."

"Acho que choramos para liberar nosso lado animal, sem perder a humanidade. Porque, dentro de mim, há uma fera que rosna, ruge e luta por liberdade, por Tobias e, acima de tudo, pela vida. Por mais que eu tente, não consigo matar essa fera."

"Suas mãos tremem. Tento pensar em algo útil para dizer, como 'Eu não vou morrer', mas não tenho como garantir isso. Vivemos em um mundo perigoso, e não valorizo tanto a vida a ponto de fazer qualquer coisa para sobreviver. Não há como confortá-lo."






  

Um comentário:

  1. Ótima resenha, a Tris é minha personagem preferida entre todos os livros que li, ela é destemida (no Divergente) e engraçada (em Insurgente). Estou super ansiosa por Allegiant e o filme. Espero que o filme seja tão bom quanto...

    ResponderExcluir

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram