6 de jan de 2014

Mundo literário desconhecido - A arma escarlate



Olá,
   vamos ao primeiro "Mundo literário (quase) desconhecido" de 2014.

A arma escarlate.

Então queridos leitores, A arma escarlate não é exatamente um livro que chamaria de totalmente desconhecido, mas, na minha humilde opinião, nunca devemos desistir de apresentar um bom livro a todos e por isso não desisto até ver várias pessoas com o seu AAE nas mãos.
Indico o livro a todos os leitores, mas principalmente para os fãs de Harry Potter que sentem falta da magia e aos que amam o folclore brasileiro. 
No livro o folclore brasileiro é apresentado não da forma que sempre vemos, mas da forma correta, afinal algum de vocês conhece nossas estórias como devem conhece-la? 
Para os defensores de nossa literatura aqui está um livro merecedor de defesa.
Não tente comparar AAE a Harry Potter, os dois são diferentes e A arma escarlate merece reconhecimento pelo que é e não apenas por ser divulgado como o Harry Potter brasileiro.
Renata Ventura também merece seu reconhecimento, digam-me: Quem conseguiria criar uma escola de bruxaria no brasil mais perfeita? Deixem que eu mesma responda, ninguém. Eu particulamente posso dizer que virei fã do livro e de sua autora.




Não posso falar muito mais, mas sei que poderia ficar por muito tempo falando desse livro.

A Arma EscarlateAutora: Renata Ventura
Editora: Novo século
Páginas: 488
Ano: 2011

Sinopse: O ano é 1997. Em meio a um intenso tiroteio, durante uma das épocas mais sangrentas da favela Santa Marta, no Rio de Janeiro, um menino de 13 anos descobre que é bruxo. Jurado de morte pelos chefes do tráfico, Hugo foge com apenas um objetivo em mente: aprender magia o suficiente para voltar e enfrentar o bandido que está ameaçando sua família. Neste processo de aprendizado, no entanto, ele pode acabar por descobrir o quanto de bandido há dentro dele mesmo.

Minha história com o livro:

Quando criei meu skoob o primeiro recado que recebi foi da Renata Ventura, no recado ela me apresentava seu livro, li a sinopse e me apaixonei, mas infelizmente não o encontrei em minha cidade então acabei esquecendo, na época da bienal do Rio de Janeiro fiquei sabendo que Renata estaria lá e obviamente seu livro também, não fui a bienal com intenção de procurar pelo livro, mas se achasse o compraria, até que encontrei Renata e seu livro, foi bem confuso, mas consegui comprar o livro autografado e também comsegui uma foto com a autora, assim que cheguei em casa comecei a ler e logo me apaixonei.

Renata Ventura:

Leitora voraz desde a infância, Renata Pacheco Ventura sempre quis ser escritora. Nascida no Rio de Janeiro, em 1985, trabalhou por três anos fazendo pesquisa e roteiro para cinema documentário antes de decidir se dedicar exclusivamente a seu primeiro livro. Nesse meio tempo, implementou uma forma de interação com seus leitores, em que eles podem conversar virtualmente com alguns dos personagens do livro através de redes sociais; fazendo-lhes perguntas, batendo um papo descompromissado ou até mesmo tentando descobrir segredos da trama do livro. Seu objetivo como escritora é contar histórias que divirtam e, ao mesmo tempo, façam o leitor refletir sobre si mesmo e sobre o mundo à sua volta...


Antes de terminar preciso dizer que estou realmente ansiosa para o segundo livro da série, A comissão chapeleira, e espero que a Renata consiga terminar esse livro bem rapidinho pois já estou morrendo de saudade dos meus Pixies lindos.

Então pessoas, espero que pesquisem sobre o livro pois tenho certeza que vão amar, vou deixar aqui em baixo o link do livro no skoob e também do grupo no facebook da Armada Escarlate, mais uma vez espero que leiam e se apaixonem.




2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Cara uma dica, eu prefiro ver um plágio que zoa o que copiou do que ver um "plágio" que faz homenagens a quem se baseia, pois a vida se resume em rivalidades, afinal o melhor exemplo pra essa história é o caso dos simpsons que foi copiado por uma família da pesada, que por mais que eles dêem uma recaída eles em geral conseguem ser mais engraçados e mais ousados, eles não perdoam nada e ninguém
    E esse tal AAE não chega nem perto deste sucesso, tudo é tão escuro, poucos atos cômicos, e muita coisa brega. O meu objetivo é mexer mais com a cultura pop, zoar mais e ser mais engraçado, afinal polêmica dá mais sucesso. Vê se entenda o meu ponto de vista, eu só tenho a intenção de salva todo mundo!!?

    ResponderExcluir

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram