31 de jan de 2014

Superação e Renovação

Olá pequenos ganfanhotinhos leitores da tia Mari Looooo! [Ignorem, muita fdl]

[Post de sexta-feita com o autor do mês, vou começar semana que vem, pois estamos no último dia!]

Em clima de Lua Nova, vou trazer para vocês títulos de livros com a temática de superação e renovação. Acredito que esse tipo de leitura é essencial na vida de todos, principalmente para compreendermos que o que acontece conosco, não é de excluisvidade nossa, e que isso acontece com muitas pessoas e elas – e nós mesmos – temos o poder de mudar. E se elas puderam, nós também podemos.


Recomeços

Recomeçar é um dos mais corriqueiros e complexos atos humanos. Recomeça-se o dia, naturalmente, a cada despertar do relógio. Recomeça-se em uma nova carreira quando a antiga profissão não mais satisfaz. Recomeça-se um novo relacionamento, depois que o anterior perdeu o sentido. Recomeça-se a viver, depois de um diagnóstico, uma fatalidade, um acidente, uma perda que abalou um mundo que não será como antes. Vinte e seis pessoas, entre homens e mulheres, famosos e anônimos, ricos e humildes, empreendedores e funcionários, artistas e religiosos, músicos e jornalistas, revelam como lidaram com a mudança em suas vidas. São depoimentos de uma franqueza desconcertante, sempre emocionantes.

Em “Recomeços”, depoimentos de personalidades conhecidas, como Elza Soares, Barbara Paz, Lily Marinho, Dorina Nowill, Chico César, Paulo Borges, Adriana Bombom, DJ Zé Pedro e Lucinha Araújo convivem com relatos de pessoas anônimas, como o pedreiro Evando dos Santos, a economista Giuliana Marsiglia. Personalidades populares, como Rita Cadillac, dividem experiências com figuras eruditas, como o pianista João Carlos Martins.






 Comer, rezar e amar

Quando completou 30 anos, Elizabeth Gilbert tinha tudo que uma mulher americana moderna, bem-educada e ambiciosa deveria querer um marido, uma casa de campo, uma carreira de sucesso. Mas não se sentia feliz: acabou pedindo divórcio e caindo em depressão. "Comer, Rezar, Amar" é o relato da autora sobre o ano que passou viajando ao redor do mundo em busca de sua recuperação pessoal.





O menino que descobriu o Vento

Nascido no Malauí, William Kamkwamba sempre acreditou num futuro diferente ao de seus familiares. Em 2001, quando tinha 13 anos, a região onde morava foi assolada por uma seca e a plantação de sua família acabou devastada. Sem poder pagar os oito dólares anuais por sua educação, William foi forçado a deixar a escola e a ajudar a família num momento em que milhares de pessoas pelo país morriam de fome. Apesar de todos os obstáculos, o adolescente encontrou numa pequena biblioteca próxima a sua casa o caminho para persistir em seus sonhos. A obra é o tetemunho do jovem autodidata que, com curiosidade e imaginação, conseguiu vencer as adversidades para melhorar a vida de todos a sua volta. Nele, William conta como descobriu pela leitura dos livros o funcionamento dos moinhos de vento. O menino decidiu apostar num projeto audacioso - construir um aparato para oferecer à família eletricidade e água encanada, luxos aos quais apenas 2% da população do Malauí têm acesso. Ao utilizar materiais improvisados, recolhidos em ferros-velhos, William conseguiu construir dois moinhos que mudariam sua vida por completo. A partir daí, o feito de William ganhou o boca a boca e o jovem foi convidado para falar sobre sua experiência no TED Global (instituição não governamental especializada em dar espaço para divulgação de ideias).


Bom, existem muitos mais livros! Inspiração é o que não falta. Beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram