6 de jun de 2014

Resenha - Bruxos e Bruxas


Título: Bruxos e Bruxas
Autor: James Patterson
Editora: Novo Conceito
Sinopse:No meio da noite, os irmãos Allgood, Whit e Wisty, foram arrancados de sua casa, acusados de bruxaria e jogados em uma prisão. Milhares de outros jovens como eles também foram sequestrados, acusados e presos. Outros tantos estão desaparecidos. O destino destes jovens é desconhecido, mas assim é o mundo sob o regime da Nova Ordem, um governo opressor que acredita que todos os menores de dezoito anos são naturalmente suspeitos de conspiração. E o pior ainda está por vir, porque O Único Que É O Único não poupará esforços para acabar com a vida e a liberdade, com os livros e a música, com a arte e a magia, nem para extirpar tudo que tenha a ver com a vida de um adolescente normal. Caberá aos irmãos, Whit e Wisty, lutar contra esta terrível realidade que não está nada longe de nós. 

O livro conta a história dos irmãos Wisty e Whit, que descobrem que são bruxos. Um novo governo é instituído na terra: a Nova Ordem, regida pelo Único Que É Único. Tudo é proibido: livros, música, arte e até mesmo algumas palavras. Quando a Nova Ordem rapta Whit e Wisty, eles descobrem muita coisa sobre esse novo regime, sobre seus pais e até sobre eles mesmos. 
Primeiro de tudo: o título. Me digam por favor, que tipo de Potterhead não leria um livro chamado Bruxos e Bruxas??? E a sinopse... APAIXONEI! A capa também me chamou muito a atenção, com esse "B" pegando fogo e com a cara dos dois irmãos saindo das chamas. Além disso, o trabalho de marketing do livro foi maravilhoso, e vi fotos de vários kits mandados pela Novo Conceito para os blogueiros e blogueiras de sites que acompanho. Já havia visto várias críticas sobre outras obras de James Patterson, todas falando como os livros dele prendiam o leitor e etc, e como é do mesmo autor, já foi outro ponto marcado para o livro.
Mas, quando eu fui ler o livro... Sinceramente. Decepcionei. Super infantil, mesmo com os personagens tendo 15 e 17 anos. A relação de Whit e Wisty não é muito bem construída, os diálogos me deram tédio, super sem conteúdo... Apesar da ideia ser ótima, minha decepção foi a infantilidade e inocência com que o assunto é abordado, além de muitas perguntas sem resposta. Em nenhum momento do livro surgiu aquele personagem que é a "luz". O que é o Mundo das Sombras? O que são retas e curvas? De onde surgiram essas passagens? 
Mas tem uma coisa que mais me irritou: os capítulos minúsculos e sem detalhes (inclusive para construir a personalidade dos dois personagens principais). Os autores não se preocuparam em explicar quem é o Único Que É Único, nem O Único QueJulga, nem QUALQUER OUTRO ÚNICO E O QUE ELES ESTAVAM FAZENDO NESSE LIVRO! Nenhum dos personagens tinha carisma, personalidade ou uma "marca" (nem mesmo os vilões, que são os que normalmente mais me prendem). 
Tudo bem que algumas explicações podem (e devem) ser dadas ao longo da saga, mas deixar o leitor completamente perdido não é uma boa coisa.

Então, ao final dessa resenha, já estou revoltada com o livro de novo. Como um autor que ganhou o Prêmio de Autor do Ano pela Forbes escreve uma coisa dessas?

_______________________________________________


Not A Nerd - Era uma vez...

Um comentário:

  1. Eu tenho esse livro faz um tempo e não tive tempo de ler ainda.
    Nunca tinha ouvido uma pessoa se quer falando mal dele, você meio que me desanimou rs rs rs.
    Ainda bem que não comprei a série toda como costumo fazer, espero lê-lo em breve.
    Seguindo aqui.

    http://enquantoestavalendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram