27 de abr de 2015

Preconceito Literário



Preconceito Literário é aquele assunto que todos falam e conversam, mas sempre vai existir pra que nós falemos mais um pouco. Desde que decidi trazer assuntos do tipo aqui pro blog a vida tem colocado todos eles na minha frente e o meu trabalho é só escrever. Depois da perseguição aos livros brazucas, o que mais tenho visto por ai é o péssimo e velho preconceito literário.

Vamos lá. Imagine que os leitores se dividem em grupos e que nesse caso estão juntos os que tem o mesmo gosto literário e, por consequência, opiniões parecidas. Um dos leitores de um grupo decide que seria muito legal se aventurar em livros que por motivos conhecidos por todos os leitores seriam tipicamente de outro grupo. Agora não imagine, mas lembre de vezes em que isso aconteceu e em que essa situação incomodou alguém e além disso você ou um conhecido recebeu vários olhares tortos.

Todos sabemos que a situação acima acontece e que não são poucas as vezes. São inúmeros gêneros, muitas escolhas, mas para uma parte dos leitores só um tipo é válido, o escolhido por eles. E é com esse pensamento que esse ser 'intelectual' julga qual leitor é inferior a ele, mostra ao mundo que o que ele lê é "melhor" e menospreza qualquer livro que não esteja no caderno dos bem vistos.

Às vezes é possível até se perguntar se esses leitores não vem com uma lista de livros para ler e comprar, outra que especifica de quais livros se deve passar longe e no fim um aviso em letras garrafais "Não leia best-sellers", é como se todos os best-sellers fossem iguais e nunca nenhum deles tenha sido bom.

Além desses "metidos a intelectuais" que parecem vir programados para julgar, existe o preconceito contra a mudança e essa existe, de certa forma, em todos nós. Quando começamos a ler seguimos um certo gênero, comigo foi assim. Pense em alguém cujo a família não é de leitores e que depois de anos ignorando os livros, porque sempre que lia era por obrigação, pega um livro e vai ler por vontade, após gostar o único caminho que conhece é o desses livros, todos do mesmo gênero. Imagino que se eu não tivesse mudado e me aventurado em livros diferentes, não teria lido tantos livros maravilhosos.

Esse medo de mudar nos prende em um gênero e acho que se não fossem os caminhões de comentários ruins sobre certos livros, todo novo leitor poderia mudar e não cair na armadilha do preconceito. Se ler John Green te levar a Hemingway, ótimo, mas se o contrário acontecer não será nenhum pecado. E se por um acaso for possível que os dois convivam na mesma estante é porque deixamos o preconceito de lado e quem ganha com isso somos nós, leitores.

Jamais serei contra a leitura de livros clássicos ou sérios, eu mesmo tenho um bom número deles em minha estante, mas também não sou contra a leitura de entretenimento, porque pra mim é tudo junto e misturado com o respeito de ingrediente principal e indispensável.



E essa ai é minha opinião. Descorda? Concorda? Então, comenta, porque tudo o que queremos é um bom debate sobre o assunto. Espero que tenham gostado e que continuem acompanhando o blog. Até logo, terráqueos!


Nos acompanhe:



Instagram: @blogpagina394
E-mail: pag394@outlook.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram