17 de jul de 2015

Coluna do Té - Jogos e animes são para crianças?

Saudações, homo sápiens! Hoje trataremos de um assunto possivelmente polêmico: Jogos de video-game, desenhos japoneses e os elementos dessa "cultura nerd" são "para crianças"? Deixo aqui minha humilde e sincera opinião a respeito.



Quantas vezes nos deparamos com vários formadores de opiniões dizendo que certas coisas não deveriam estar ao alcance do público infantil? Exemplo? Mídias pondo a culpa em jogos eletrônicos para justificar ações psicopatas, fanáticos religiosos dizendo achar indícios de satanismo em desenhos japoneses... Uma certa obseção pelo politicamente correto - correto ou não, no caso, pelo ponto de vista de quem o considera.

Sejamos mais específicos, então. Lembra daquele joguinho, o Grand Theft Auto - o famoso GTA San Andreas -, que seu pai dizia que é violento demais pra você ficar jogando? E aquele desenho, o clássico Dragon Ball, que diziam ser má influência por ter um personagem chamado Satan, nome esse que significa "aquele que é feliz"? Isso sem falar na mídia televisiva, que chegou a culpar o jogo Assassin's Creed pelo assassinato supostamente cometido por uma criança brasileira.



Existem, sim, os produtos feitos especificamente para o público adulto, assim como o feito para o público infantil. E, por mais que seja bom respeitar isso de vez em quando, criar um tabu para uma criança é só uma maneira de atrair ainda mais a atenção dela a isso. Portanto, vamos ver também o lado bom dessas coisas. Imagine, por exemplo, que você só soubesse o inglês que aprendeu na escola. Nem mesmo a palavra "Fight" faria sentido sem um Street Fighter em nossas vidas. E é com base nisso que hoje me formo em inglês. Os jogos e animes que possuíam trilhas sonoras épicas e contagiantes ou músicas inseridas de alguma outra maneira, como as rádios de GTA ou as músicas de Guitar Hero, nos dão uma ótima base para diversidade musical, que chega até a refletir na música que eu faço.

-Produto infantil

Além de um dos mais divertidos meios de entretenimento, já foi comprovado de diversas maneiras que jogar trás benefícios como desenvolvimento do raciocínio, tolerância, paciência, coordenação, concentração, memória, entre muitas - MUITAS - outras coisas. Além desses benefícios dados pelo contato frequente, até mesmo o mercado de trabalho tem se voltado cada vez mais para esse lado. Certa vez, numa ida ao Rio de Janeiro, conheci um homem que ganha a vida legendando séries e animes para um site. Qualquer pessoa que goste de acompanhar canais no YouTube sabe que gameplays, vídeos informativos e eventos nerds têm gerado empregos e sustentado vidas. Com a tecnologia evoluindo e ficado cada vez mais disponível, produtores independentes de mangás, jogos e animações têm ganhado espaço no Brasil. Portanto, sim, jogos e animes podem dar um ótimo futuro para seu filho.

-Produto adulto
Clique na imagem para visualizar no tamanho original.
É claro que também existe o lado mais voltado para o entretenimento puro. Assim como filmes, séries, livros, músicas e basicamente tudo que já foi tema neste blog, existem, sim, os infantis e os adultos, os educativos e os simplesmente divertidos, e chega a ser desgastante ter que viver sob esse pensamento de que assistir animes e jogar video-game é coisa de criança - principalmente numa época em que todos os grandes animes dos anos 90 estão sendo revividos e todos os antigos conceitos de jogos de plataforma estão invadindo os jogos indie brasileiros. O adulto que não deu um sorriso de criança quando soube que Dragon Ball ia voltar e que o jogo "A Lenda do Herói" já está quase pronto, definitivamente não é um adulto confiável.

Com um certo tom de desabafo, a coluna do mês vai ficando por aqui. aZeus a todos, mas, desta vez, não até o mês que vem, porque este mês, mais uma vez, terá dois posts meus. Comemoremos e aguerdemos juntos, até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram