13 de dez de 2014

Resenha: A Escolha (Maratona Literária #EuTôDeFérias)



A Escolha
A Escolha

Kiera Cass
Editora Seguinte
Ano de 2014; 352 páginas

Preço: R$ 16,00 até R$ 23,00


A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria encontrar-se em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Mas à medida que a competição se aproxima de seu final e as ameaças de fora das paredes do palácio se tornam mais perigosas, América percebe o quanto ela tem a perder e quanto ela terá que lutar para o futuro que ela quer. Desde a primeira página da seleção, este best-seller #1 do New York Times capturou os corações dos leitores e os levou em uma viagem cativante ... Agora, em A Escolha, Kiera Cass oferece uma conclusão satisfatória e inesquecível, que vai manter os leitores suspirando sobre este eletrizante conto de fadas muito depois da última página é virada.

Resenha:



A Resenha pode conter Spoilers dos livros anteriores.

Finalmente vi o lado distópico. Desde a resenha do primeiro livro reclamo do lado romântico dos livros de A Seleção, ele sempre superou a distopia, mas finalmente Kiera conseguiu dosar os dois lados e escrever um livro do qual consegui gostar.
Nesse livro da série America continua na Seleção, agora como parte da Elite, porém parece não agradar o rei por seus atos, enquanto tenta mudar a opinião do rei precisa ter certeza dos sentimentos de Maxon por ela e ao tempo que faz isso pela Seleção ainda se preocupa com os rebeldes, que estão cada vez mais fortes, e sua família.

Kiera Cass escreve de forma que consegue nos prender, não importa se você prefere a parte romântica ou a distópica, porém em todos os livros anteriores o romance sempre ganhava e isso me irritava, não conseguia realmente gostar da leitura ou me interessar pela continuação, ainda bem que sou do tipo que não para uma série no meio, continuei e finalmente cheguei em A escolha.
Nesse terceiro livro America ainda lida com todas as questões amorosas e com um triângulo amoroso - que em minha opinião já não existia mais - porém os rebeldes finalmente se tornam presentes e essa questão entra na narrativa não só por poucos ataques onde as consequências eram minimas, mas sim passando a fazer parte das decisões de America e sendo importantes em alguns momentos.

"A perfeição era minha única escolha."

Outro ponto que me agradou foi mostrar mais das outras meninas da seleção, tudo bem que nos outros livros já ficamos sabendo bastante da personalidade de cada uma, mas ao fazer delas amigas de America, Cass nos contou um pouco mais da vida de cada uma delas.
Desde o primeiro livro sabemos qual será o fim de America e Maxon, apenas os mais sonhadores poderiam esperar algo diferente, porém Kiera coloca o amor dos dois e o coração dos loucos por America e Maxon a prova, também gostei de como termina a relação de America e Aspen, afinal desde o inicio do livro America deixa claro que precisa de Aspen em sua vida, mas não como os dois imaginavam que seria.

"- Não ouse - Maxon ordenou, com os dentes cerrados. - Sorria sem parar até o último segundo."

Existem falhas, fatos que poderiam ser mais trabalhos ou simplesmente retirados do livro. Há descobertas que passam rápido e que depois são ignorados e fatos pequenos que viram um grande drama. America não mostra tanto seu lado forte e decidido nesse livro, apesar de existir decisões fortes elas são poucas. Maxon é irritante em algumas cenas, em nenhum momento antes dos últimos quatro capítulos tive certeza de seus sentimentos por America ou qualquer outra garota. Aspen aparece, é importante, mas fica um pouco apagado e é por isso que desde o inicio fica claro que apesar de amar America por ser alguém importante, ele, assim como ela, já não é mais apaixonado.
Preciso doar um paragrafo dessa resenha apenas para Celeste, ela cresce nesse livro, nos livros anteriores ela era apenas a inimiga de Meri, a pessoa que passava dos limites para conseguir o príncipe, porém dessa vez ela é bem aproveitada e as cenas em que ela aparece são ótimas.
 
"Celeste havia sido criada para ser linda de uma maneira específica, que dependia de esconder certas coisas, buscar o melhor ângulo e a perfeição o tempo inteiro."

É um problema falar das mortes do livro, elas foram importantes, porém repentinas e em um piscar de olhos vários personagens foram mortos. O fim do livro foi o que mais me incomodou, infelizmente pareceu que Kiera precisou correr para terminar, mortes rápidas, uma reconciliação mais rápida ainda e um casamento que parece ter acontecido no dia seguinte aos ataques rebeldes.
A dúvida que fica agora é o próximo livro, The Heir, é um spin-off ou uma continuação? Eu realmente espero que seja uma continuação, A escolha é melhor que os dois primeiros livros e tem seu lado distópico mais trabalhado, mas deixa pontas que precisam ser fechadas, tenho certeza que os fãs precisam de explicação para algumas coisas.

"- Pode partir o meu coração. Mil vezes, se desejar. Sempre foi seu para machucar como quiser."

Quatro estrelas para o livro por ser melhor que os outros, mas ter algumas falhas.


Então, é isso. Espero que tenham gostado da resenha e que estejam acompanhando a maratona aqui no blog e no instagram. Sigam e comentem o blog e curtam nossa fan page.


Nos acompanhe:





Instagram: @blogpagina394
E-mail: pag394@outlook.com

Um comentário:

  1. Olá! The Heir vai ser um livro, mas não exatamente uma continuação. Vai contar a história da seleção envolvendo a filha da Meri e do Maxon, que sai em busca de um marido. Eu acho essa série o máximo! ^_^

    Um beijo, blogfloreando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir