14 de abr de 2015

Coluna do Té - Sobrevivência nos jogos.

Saudações, homo sapiens! Algumas pessoas gostam de jogar ou assistir coisas com as quais se identificam. Pois trarei agora uma pequenina lista de jogos e animes cujo tema envolve o que mais tem dificultado nossas vidas ultimamente: Sobreviver.

O que se revelou ser um dos temas que mais me atraem nos jogos é a constante luta por sobrevivência presente na jogabilidade. É um universo que proporciona a maior variedade entre obras e liberdade de criação para o público. Mas além disso, também acaba por inspirar grandes filmes como Jogos Vorazes, séries como The Walking Dead e, como citarei, animes. A começar pelos jogos, vamos à lista!


1) Minecraft.


Sim, o jogo tão conhecido pela nem tão boa fama de "joguinho de ficar empilhando blocos" é, pelo menos por mim, considerado um dos melhores jogos de sobrevivência já feitos. Até hoje, quando digo que minecraft é um jogo de sobrevivencia, as pessoas se surpreendem.
O jogo possui dois modos básicos: Criativo e Sobrevivência. O primeiro lhe da acesso ilimitado a qualquer item do jogo para construções quase irrestritas, além de imortalidade, permitir voar, respirar debaixo d'água e coisas do tipo. Mas é o segundo que põe Minecraft nesta lista. No modo de sobrevivência, o jogador, assim que inicia a partida, precisa encontrar alimento para não morrer de fome, quebrar árvores para construir equipamentos como mesas de trabalho, picaretas, baús, enxadas, machados, pás e, principalmente, um abrigo para a noite, quando saem de suas cavernas o que te pressiona a ter uma ótima espada e armadura: Aranhas gigantes, zumbis, esqueletos arqueiros e vários seres originais do jogo, como os tão temidos Creeper e Enderman.


Ainda ao contrário do que a maioria pensa, Minecraft tem, sim, um objetivo a ser cumprido. Outra coisa que causa muito estranhamento nas pessoas, falar em "Fechar Minecraft". Por sua infinidade de possibilidades para entreter-se, como matar monstros, construir estruturas, equipamentos e engenhocas, minerar para tentar encontrar ferro, ouro, diamante e afins para fortalecer-se e muitas outras coisas, assim como na série GTA, o objetivo principal do jogo acaba sendo irrelevante. Matando os Endermans citados, adquire-se o Olho de Enderman, que pode ser usado para encontrar o local que deve ser cavado em meio a esse mundo quase infinito, para que você encontre um calabouço labiríntico, onde se esconde o Portal do Fim. Colocando 9 olhos de Enderman no portal, abre-se uma passagem para a dimensão de onde vêm os Endermans, "O Fim". Lá, você encontra o único dragão do jogo, o Ender Dragon, que, digamos, é sua missão final.


Pra não continuar tagarelando sobre o jogo, vamos ao próximo e deixemos o Inferno, a Lenda do Herobrine, os Mods e afins pra outro post.

2) Dying Light.


Mesmo não tendo chegado realmente a joga-lo, quando vi as primeiras imagens do jogo fiz questão de pesquisar e assistir reviews e gameplays para conhece-lo, e valeu a pena.
Para agradar, acredito, até os grandes fãs de cinema, o jogo possui uma dublagem em português com uma qualidade que eu muito raramente encontro em algum lugar. Nem preciso dizer que se difere em muitas coisas de Minecraft, a começar pelo óbvio: Seus gráficos são impressionantemente realistas.


Jogado todo em primeira pessoa, Dying Light põe o jogador na pele de um infiltrado numa cidade onde um vírus se espalhou e restam poucos sobreviventes. Após ser infectado pelo vírus e resgatado por um grupo de sobreviventes, a sobrevivência se torna mais complicada, tendo que conseguir periodicamente quantidades de um "antídoto temporário", melhorar as habilidades de sobrevivente, aumentar sua agilidade para aprimorar seus movimentos de parkour e explorar a cidade em meio a vários tipos de zumbi, como os clássicos (os lerdos e sem o mínimo sinal de inteligência), alguns mais brutais como o da imagem, os mais velozes, os estrategistas e até mesmo medrosos. A história é linear e deve ser sempre seguida, com a única excessão das missões paralelas. Um jogo pra não botar defeito.

Intro:

3) Don't Starve.


Depois da ENORME obsessão da Mari Borsato (Minha noiva e dona da coluna Forninho aqui no blog, acostumem-se porque não vou parar de cita-la) por Minecraft, Don't Starve chegou em nossas vidas pra piorar a situação.
Com uma aparência totalmente diferente, acaba tendo o mesmo conceito: Adquirir alimentos, equipar-se e se proteger da noite. Mas Don't Starve possui alguns diferenciais que o tornam um jogo ainda mais difícil, mesmo que com uma jogabilidade simples.


Durante o dia, para manter-se com a sanidade alta, pontos de vida no máximo e sem fome, é preciso sincronizar e planejar com perfeição sua dedicação à caça, mineração, extração e todas as atividades possíveis. Durante a noite, a escuridão é total, então, se você não tiver providenciado uma forma de ter um pouco de luz, nem verá o que o matou. Se sua sanidade abaixar demais, começará a ver as coisas distorcidas, cores, seres, e, em nível extremo, pode ser atacado e morto pelo que nem existe. E, para piorar a dificuldade do jogo, depois de morto, o mundo desaparece eternamente. Não tem segunda chance.
Assim como em Minecraft, Don't Starve possui um objetivo nem sempre procurado, e até um pouco semelhante: Encontrar o Portal de Maxuell, o homem que o prendeu nesse mundo. O portal pode estar em qualquer ponto desse imenso mapa. Após encontrá-lo, você deverá sobreviver a outros cinco mundos muito mais difíceis, onde deverá encontrar partes de peças para montar um portal para o próximo mundo. Após os cinco mundos, reza a lenda, você encontra Maxuell e o enfrenta, para, enfim, vencer o jogo. Só não me cobre detalhes sobre essa parte, porque até hoje ainda não consegui.

Intro:

Bom, eu também disse que falaria sobre animes com o tema sobrevivência, certo? Mas não acho que queiram mais toneladas de texto, então só deixarei aqui, de passagem, dois nomes que posso me aprofundar em outro post, para quem tiver a curiosidade de procurar: Ben-To e Another.

Por hoje é só isso tudo. Esses são três dos jogos que eu mais recomendo que procurem jogar ou saber mais a respeito, em estilos totalmente diferentes. Continuem acompanhando o blog, aZeus a todos e até mês que vem!


-Té.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram