28 de dez de 2015

Coluna do Té - Resenha: High School DxD | Especial #2

Saudações, ó pequeninos humanos! Perdoem novamente minha demora, mas eis aqui o segundo post especial do mês, num formato que ainda não estou muito acostumado, mas pretendo trazer mais vezes pro blog. Trago a vós a resenha de um dos mais recentes animes que estou assistindo: O tão comentado High School DxD.


Título: High School DxD.
Autor: Ichiei Ishibumi.
Produtora: Studio TNK.
Exibição original: 2012.
Número de episódios: 12 (mais 2 OVA's e 6 especiais).
Nível de lindeza: Muita!

Certo colégio no Japão, antes exclusivo para mulheres, acaba de abrir matrícula também para meninos. Sabendo disso, Issei, Matsuda e Motohama, três amigos tarados, decidem entrar nessa escola, pensando que, por serem dois dos pouquíssimos homens por lá, teriam as mulheres aos seus pés. Depois de meses de falhas tentativas de conseguir namoradas, Issei recebe o repentino convite para sair com uma menina de outra escola, que, assim que vão para um lugar vazio, tenta mata-lo. Mas, por alguma razão, vê-se salvo por por Rias Gremory, "A menina dos cabelos mais vermelhos que laranja avermelhado", da qual ele vive demonstrando grande interesse, de certa forma, platônico, e que todas as meninas invejam. Agora, Issei deve sua vida a Rias, que mostra a ele um lado mais sobrenatural do mundo.



O mais recente anime que comecei a assistir e ainda não terminei, mas já está conseguindo conquistar minha amizade. O que mais chama atenção, logo de cara, é o humor adulto e "politicamente incorreto", geralmente voltado para as intenções sexuais e, às vezes, religião.

-Eroticidade:
Não tem como não ressaltar. Logo nas primeiras cenas, nas primeiras falas e nas primeiras imagens dos primeiros episódios, fica muito claro que o anime não é nada infantil, e que vamos nos deparar com muitas cenas depravadas e personagens que vivem unicamente em prol "disso". Algo muito difícil de se trabalhar num anime sem deixa-lo muito chato e previsível, pois já vi muitos que giravam tanto em torno disso que a história se tornava obsoleta. Mas DxD é a prova de que o erotismo pode ser encaixado com qualidade nas histórias!
Clique na imagem para ver em tamanho original

-Humor:
Outra coisa muito típica em animes, mas dificilmente alcançada com essa eficácia. Quase sempre relacionado ao tópico anterior, o anime cria cenas engraçadas em volta do desejo por sexo, mas nem por isso deixa de nos fazer rir de outras coisas, como referências tão diretas a outros animes que mal podem ser chamadas de "Easter Eggs".
Moça bonita.

-Personagens:
Além dos "moços taradões", as personagens são divididas em raças, como os humanos, os demônios, os anjos e os anjos caídos. Cada raça parece ter tendências a agir de determinada maneira, mas isso não tira a individualidade de cada um. Dentro do Clã Gremory, que o protagonista passa a fazer parte (e que não vou revelar a que raça pertence, hehe), cada integrante tem seu humor marcado e funções bem definidas no grupo. Encaram a parte sexual de maneiras diferentes, alguns se impressionando com tudo, outros demonstrando desprezo por certas atitudes e grande parte pouco se importando, o que da ainda mais originalidade às personalidades e variedade para suas cenas cômicas.
Da pra amar cada pessoa daí.

-Enredo:
Apesar da forte presença do humor, o enredo não deixa de ser bem construído, tendo seus momentos mais sérios, momentos tristes, revoltantes, mistérios e tudo que possa tornar a história empolgante o suficiente pra te prender em cada episódio. Personagens que surgem sem parecer ter importância alguma mas acabam voltando em algum momento da história ajudam a criar um universo interessante em cima do anime, e, felizmente para vocês, ainda não podem ter spoiler do final do anime, mas me parece que os 12 episódios não foram suficientes para trabalhar todas as possibilidades nesse mundo, visto que o anime possui 2 OVA's, 6 especiais e duas continuações - continuações essas que ainda não cheguei a estudar o que são. Sei que, pelo que pude ver, o enredo está sendo muito bem sucedido na proposta.

-Conclusão: Risadas. Uma história que te conquista rápido e faz querer conhecer tudo que puder - se você tem um ótimo senso de humor, claro, pois, diferente de vários dos animes que gosto, não trata-se de um herói com ótimas intenções e um caráter exemplar, e sim de um menino tarado num mundo por ele visto como um grande harém. Tudo que comumente seria épico é substituído pelo ridiculamente cliche, portanto é um anime quase 100% descontraído. Mas não vai trazer depepções pra quem procura uma boa história, então o recomendo inclusive para quem ainda não tem um pé nesse estilo de roteiro.
Nota: "Bão demar da conta!!"

Eis aqui minha primeira resenha de verdade no blog, sintam-se bem-vindos para opinar nos comentários! Ainda este mês eu volto com mais posts. Lembrem-se: Ainda da tempo de conhecer bons animes em 2015! aZeus a todos e até logo!

-Té.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram