15 de jan de 2016

Coluna do Té - O que motiva os "vilões"?

Saudações a todos, caríssimos mamíferos vertebrados! Eis-me aqui novamente, hoje inspirado a falar do "Lado Negro" de toda a história de nossas vidas: Os vilões. Esses, que tanto amamos e detestamos, mas que, seja o que for, sempre sentimos algo forte por eles enquanto personagens marcantes.

Praticamente toda história que lemos, ouvimos, assistimos e presenciamos tem a presença desses lindos seres, sejam eles pessoas, criaturas ou até mesmo situações. Existem aqueles típicos de histórias mais simples, os que simplesmente querem. Querem assaltar um banco, querem sequestrar uma pessoa, querem dominar o mundo - seja lá o que significa dominar o mundo. E qualquer criança com problemas mentais já deve ter se perguntado: Por que alguém escolheria ser vilão? Que lógica há nisso tudo?
Pois bem. No decorrer da vida vão surgindo alguns voluntários a usar a prória experiência de vida como exemplo para explicar o que se passa na cabeça de vilões.

Lembra-se do filme "Detona Ralph"?
Só gente bonita.
O filme mostra o lado mais pessoal dos personagens de jogos de fliperama, tanto os heróis quanto os vilões. Nessa cena, os vilões fazem sua reunião dos "vilões anônimos", e, ao encerrar a reunião, fazem a Afirmação do Vilão, dando suas mãos e dizendo:
"Sou mau, e isso é bom. Nunca serei bom, e isso não é mal. Não quero ser ninguém além de mim"

Existe uma filosofia forte por trás dessa "oração". Ser vilão é questão de ponto de vista. Em toda disputa, existem dois lados que se consideram o mais correto, e o que vai definir quem é o herói e quem é o vilão ao ponto de vista de um público é o senso comum, é quem consideram estar mais correto e ter ideias com que mais nos identificamos. Todavia, isso não tira a validez do outro lado. OK, falei complicadinho, mas vou exemplificar usando 2 heróis e 2 vilões de animes.

1) Raito Yagami e L, de Death Note.
Única imagem deles juntos e não se pegando que achei.
Raito (O da esquerda) é, inicialmente, o protagonista do anime, enquanto L (O lindo da direita) é o antagonista. O objetivo de Raito é punir a todos os criminosos com a morte, usando o Death Note, um caderno em que, quando você escreve o nome completo de alguém enquanto imagina seu rosto, faz com que a pessoa morra. O mundo começa a entender que as mortes de criminosos não são uma coincidência e criam o nome Kira, para se referir a quem está fazendo isso. L é um tipo de detetive com QI elevado que tenta descobrir quem é o tal Kira para puni-lo, por achar que qualquer assassinato é um assassinato, até mesmo se feito a um criminoso. Durante o enredo do anime, os ideias vão se mostrando fortes, os dois lados da história vão mostrando ter fundamento, até chegar a um ponto em que você se confunde e já não sabe mais para quem torcer. Podemos ter nossas opiniões bem formadas sobre o assunto, mas, enquanto assistimos, vemos que não existe verdadeiramente um herói ou um vilão em Death Note, apenas duas ideias que se distinguem.

2) Uzumaki Naruto e Pain (Nagato), de Naruto Shippuden.
Bandanas, piercings, maquiagem, colares, penteados, sobretudo... Ta estilosa essa gentezinha.
Naruto (adivinha, o da esquerda), logicamente o protagonista, e Pain (o outro lindo tenho que parar de amar antagonistas, juro que não é de propósito da direita), um dos principais antagonistas, especificamente o principal da sétima temporada. Pain, que não vou entrar em detalhes demais, mas na verdade se chama Nagato, simplesmente invade a vila onde Naruto mora, a destrói por completo e mata e tortura todos que aparecem na sua frente. Naruto, como qualquer herói de histórias shonen, tenta matar Nagato por isso, mas Nagato insiste esta-lo fazendo por uma boa causa. Diz Nagato que uma pessoa só compreende outra quando compartilha da mesma dor que ela. Nagato teve os pais mortos por pessoas dessa vila durante uma guerra, e isso cultivou nele desejo de vingança. Mas esse mesmo desejo estava nascendo nas pessoas que o queriam morto, então pouca coisa os difere. Entre os momentos de "guerra de argumentos" entre os dois, Naruto acaba não tendo mais em que discordar de Nagato, e, a partir daí, entende-se que são duas pessoas tentando fazer coisas boas, mas por meios diferentes. Do ponto de vista de Nagato, Naruto é o vilão.

Além desses, que são meus dois exemplos favoritos de "vilões por ponto de vista", não podemos deixar de lembrar dele, o homem que deu origem ao nome deste blog, Página 394, um dos mais heróicos vilões que nem tão vilão é, Severo Snape, interpretado nos filmes de Harry Potter pelo ator Alan Rickman, que faleceu ontem (14/01/2016). Sempre fomos uma homenagem a ti e vamos continuar sendo!

Assim encerramos o post de hoje. Sejam sempre o vilão de vilões, aZeus a todos e até mês que vem!

-Té.

3 comentários:

  1. Amei o post <3 Quero muito ver Death Note, mas nunca assisti nenhuma nime então tenho medo de não gostar.
    Beijinhos
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá e obrigado!!
      Temos um post sobre animes para quem ainda não gosta de anime, pode ser útil
      http://pag394.blogspot.com.br/2015/10/coluna-do-te-animes-para-quem-ainda-nao.html
      -Té.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram