4 de mar de 2016

Resenha | E de Extermínio


E de Extermínio


E de Extermínio
Cirilo S. Lemos | Editora Draco
Ano de 2015 | 248 páginas


Jerônimo Trovão é um assassino profissional, foi-lhe encomendado em seu último trabalho uma grande chacina, porém o que ele não sabia é que o que realmente causaria não seria uma chacina qualquer, mas sim uma contra políticos. Apesar dos avisos de sua santa, que lhe ajuda prevendo o futuro e dizendo que não deveria seguir com o trabalho, Jerônimo o conclui dizendo a si mesmo que esse seria seu último, mas ele não esperava que esse trabalho resultasse em uma revolução que colocaria o Brasil e sua família em risco.

"A Central do Brasil é o símbolo fálico da exploração capitalista. Na parte baixa viaja a massa explorada e empobrecida. Na parte alta, burgueses e sanguessugas vindos pelos ares gozar das delícias do país dos macacos. Revolução já."

E de Extermínio se passa em um Brasil fictício onde o Império se estendeu para seu terceiro reinado e tem seu fim em uma batalha que envolve robôs tripulados, clonagem humana, mochilas a jato, fuzileiros americanos e outros elementos que nenhum de nós poderia encontrar em um livro de história.

Antes do início da leitura de E de Extermínio o termo dieselpunk não me era familiar, para falar a verdade nem mesmo Steampunk fazia parte dos gêneros lidos por mim apesar de já conhecer o termo, e após o fim da leitura posso dizer que essa foi uma ótima primeira experiência.

A obra é uma mistura de ficção dieselpunk, como já disse acima, com o sobrenatural, sendo assim quem olha de longe pode achar que o livro peca nos exageros e provavelmente é escrito para um publico certo, assim como eu achei ao ler a sinopse e resenhas, mas aqueles que assim com eu derem uma chance ao livro vão perceber que a obra é escrita de forma natural e que é isso que nos leva a continuar lendo cada uma das páginas do livro.

Para os que gostam de história o livro será uma ótima leitura, o fato de o escritor ser historiador ajudou a traçar um paralelo com a história oficial do nosso país que faz da versão encontrada no livro algo extremamente bem escrito, nela encontramos Dom Pedro III, uma versão do Presidente Vargas, do Plínio Salgado e outras personalidades da nossa história, sem contar outros personagens e fatos que são introduzidos ao livro de forma mais sutil.

O autor consegue criar um Brasil totalmente novo e construir com maestria o universo dieselpunk da história e ao faze-lo consegue com que até mesmo os novos no gênero não se percam. A narrativa em terceira pessoa intercalada entre os personagens da uma amplitude maior para a história e permite que os leitores acompanhem tudo o que acontece.

Apesar de saber que esse não é um livro que qualquer um vá gostar, recomendo que todos tentem, principalmente os que gostam de uma boa ficção cientifica, o trabalho do autor é ótimo e os personagens vão conquistar todos que derem uma chance ao livro.


Essa foi a resenha de hoje, espero que tenham gostado da indicação e de saber o que achei dessa leitura, não esqueçam de acompanhar nossas redes sociais por elas vocês sabem tudo o que acontece por aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram