16 de fev de 2017

Séries | The OA



Vocês já ouviram falar de The OA, né? Série da Netflix que divide opiniões e ta causando entre os fãs que amam boas teorias sobre as séries que assistem, pois é, a postagem de hoje é sobre ela. Mas vejam bem, se eu fosse tentar explicar sobre o que é The OA eu precisaria escrever umas três postagens, contar todos os spoilers possíveis e ainda não teria explicado nada, por isso vou seguir o estilo das postagens antigas aqui do blog e falar um pouco do que achei sobre a série e se você viveu em Marte nos últimos meses essa é uma boa chance de conhecer a série, vamos?


Assim como estava difícil aparecer aqui no blog nos últimos meses, também ficou difícil continuar fazendo tudo o que eu gosto de fazer, as leituras diminuíram, eu comecei a assistir menos filmes do que gostaria e as séries acumularam (ok, não é como se eu conseguisse manter todas atualizadas antes), mas de tempos em tempos apareciam séries que eu simplesmente devorava e The OA foi um desses casos, isso porque a série tem uma dessas histórias devoráveis, é claro que de inicio tudo o que você consegue dizer é "que??", mas todo o mistério da série e toda a história de OA conseguem causar um interesse capaz de te manter assistindo a série. Na trama, Prairie (barra Nina barra OA) é uma jovem cega que desaparece e retorna após sete anos com cicatrizes estranhas na costas e inexplicavelmente com sua visão recuperada, todos os mistérios que envolvem seu desaparecimento e também sua vida nós acabamos descobrimos com o passar dos episódios junto com um grupo de cinco integrantes reunidos por Prairie, que ouvem suas histórias e tentam ajudá-la.

The OA é com certeza uma série cheia de pontos que chamam nossa atenção e interesse, porém é importante também destacar seus pecados, se você é daqueles seriadores que da uma espiadinha na duração do episódio e já fica com sono e pensando quando vai ter uma cena mais ou menos pra dar aquele cochilo, encontrou uma série que vai te dar uma certa preguiça, os episódios de The OA são longos e juntos a uma trama densa acabam por se tornar cansativos, mas com vontade, interesse e uma certa fé na série é possível chegar ao fim dos episódios e querer continuar. Talvez esse seja um ponto que dê uma melhorada na segunda temporada, afinal Zal Batmanglij e Brit Marling (criadores da série) estão muito mais acostumados aos filmes, que tem uma duração maior que episódios de séries, essa primeira experiência pode trazer boas melhoras na próxima temporada.


Aliás, outra coisa que precisa ser melhorada é essa coisa de me deixar roendo unhas, a temporada toda foi feita de me fazer esperar por explicações e quando eu pensei que finalmente as teria, eles só conseguiram jogar mais perguntas no ar e me deixar esperando ATÉ A PRÓXIMA TEMPORADA. Pois é, amigos, a primeira temporada termina sem muitas respostas e é por isso que achamos milhões de teorias pela internet, ta todo mundo querendo respostas.

Mas se tem algo que precisamos falar quando o assunto é The OA é: GENTE DO CÉU, QUE FOTOGRAFIA. Amiguinhos, a série apresenta uma fotografia impecável e linda de se ver, os cenários são incríveis e as locações parecem ser pensadas de forma imersiva, elas nos levam para o local em que os personagens se encontram de forma única e que ajuda a entender a trama, principalmente quando OA começa a contar sua história e começamos a ter flashbacks de sua vida. A série consegue misturar em sua narrativa mistério e ficção cientifica e talvez por isso seja tão 8 ou 80, você ama ou odeia e provavelmente não alcança o grande publico, concentrando-se em um nicho especifico.

Resultado de imagem para the OA

Aqui temos algumas teorias e SPOILERS

Pois é, eu nem estava pensando em falar sobre as teorias, porque isso daria outra postagem inteira, mas já que aqui estamos, vamos dar uma passadinha rápida por elas. A série tem oito episódios e terminados eles milhões de dúvidas, ficam umas pontinhas em aberto que deixam a cabeça de qualquer um que assista cheia de teorias e tem umas que estão bem famosas na internet.

- Prairie estava sozinha enquanto estava presa

E as quatro outras pessoas no cativeiro são criações de sua mente! Essa teoria diz que Homer, Scott, Rachel e Renata foram criados por uma mente cansada de abusos e agressões e que toda a história de OA foi criada como uma fuga da realidade.

Sustentam essa teoria: A cena em que OA é abordada em um restaurante, nela uma desconhecida diz que Prairie é uma grande inspiração por ser forte e comenta sobre estupro e agressões de Hap, e também um comentário feito por parte de Prairie que diz que ela não tocou a pele de outra pessoa durante sete, porém a série mostra que Homer e Prairie se tocaram em seus últimos momentos juntos.

- A história da série ocorre em três dimensões


Os acontecimentos no porão de Hap, a conversa com Kathun e OA contando sua história aos seus amigos, estão acontecendo ao mesmo tempo, porém em dimensões diferentes.

Sustentam essa teoria: A cena em que Alfonso se olha no espelho e vê Homer com um corte no mesmo local que o seu; a cena em que Buck passa de bicicleta pela estrada e vê objetos pegando fogo, entre eles uma mochila vermelha mesmo objeto que Rachel diz ter sido um objeto marcante em sua experiência de quase morte.

- Prairie está em coma profundo

A teoria diz que OA na verdade nunca acordou de seu acidente quando criança e que toda a história contada por ela é na verdade um sonho lúcido.

Sustenta essa teoria: Na última cena de The OA, Prairie acorda em uma sala toda branca e vestindo roupas claras.

Resultado de imagem para the OA

Enfim, The OA tem seus pontos negativos e positivos, porém consegue se superar nos positivos, pra quem gosta de conhecer séries diferentes e de premissas interessantes é uma ótima escolha, será ótima pra quem souber assistir e tiver uma certa paciência com a série, talvez uma novo paixão pra quem não gosta de tudo resolvidinho e curte umas boas teorias. Ah, e tem Pearl Jam na trilha sonora!






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram