3 de jun de 2015

Resenha | Alameda dos Pesadelos



Alameda dos Pesadelos
Alameda Dos Pesadelos
Karen Alvares
Editora Cata-Vento
Ano de 2014; 263 páginas

Vívian era apenas uma mulher solitária, com uma vida normal, presa em sua rotina sem graça, até a noite em que presencia um acidente. A partir daí seu pesadelo começa; ela passa a ter visões de um homem que conheceu no passado e desejava nunca mais encontrar. E o pior: ele quer vingança. Até que ponto um pesadelo é fruto da imaginação? Vívian descobre que o limite entre a alucinação e a realidade é tão pequeno que a loucura está a apenas um passo de distância e o pesadelo pode estar escondido na nossa mente, como um monstro à espreita, esperando sua chance de despertar. E para escapar do seu horror particular, Vívian precisará entender quais foram seus erros. E finalmente aceitar a própria culpa.


Resenha


O livro começa em uma sexta-feira nada agradável para a protagonista, Vívian, que sai de seu trabalho em São Paulo durante uma chuva e para piorar a situação precisa pegar um ônibus que, como sempre, está lotado. Pensando em mil coisas ao mesmo tempo, Vívian segue seu trajeto até que o ônibus passa por um acidente e é esse acidente que desencadeia eventos que mudam sua vida.

Vívian é uma mulher como muitas outras, cheia de responsabilidades. Tem um filho de oito anos e um pai idoso para sustentar e um trabalho dos mais desgastantes. Sem tempo para ela mesma, prefere gastar o tempo que tem com seu filho. Após passar pelo acidente, seus dias ficam ainda mais desgastantes, afinal ela passa a ver o homem que abandonou ela e seu filho, o medo passa a ser companheiro constante e a situação cada vez mais estranha.

"A vida é um jogo de tabuleiros; daqueles que você joga o dado e anda uma, duas, cinco casas. Se você não aprender o que tem que ser aprendido na vida, vai ser obrigado a voltar ao início e tentar de novo até conseguir."

Alameda dos Pesadelos é um livro que já devia ter lido faz alguns meses, apesar de sempre ouvir bons comentários sobre o livro ele sempre ficava para depois, após ler um dos contos de Karen Alvares, precisava ler Alameda dos Pesadelos e li, foi então que me arrependi por demorar tanto para começar a leitura.

Karen tem uma escrita fluída e direta e foi isso que fez de Alameda dos Pesadelos uma obra envolvente, de inicio não achei que isso fosse possível, apesar de já saber que Karen escreve bem, era um livro com mistério que envolve tensão, posso dizer que tensão não é o que se quer sentir durante uma leitura, mas a escritora soube usar isso a favor de seu livro e fazer com que o leitor não queira largar a leitura nem por um segundo.

Os personagens são muito reais, nada daqueles clichês dos livros. Vívian, por exemplo, é uma mulher normal, com problemas reais, um passado triste e que se não fosse por tudo o que passa durante o livro poderia ser alguém que o leitor conhece. Isso leva quem lê para o universo do livro, se o personagem não é alguém tão perfeito é possível conquistar o leitor pela simplicidade e as lutas de cada personagem.

“Era o simples fato de que quando eu cometo erros, eu quero consertá-los, ou pelo menos lidar com eles. Apagá-los não era a coisa certa a se fazer.”

O livro é narrado em primeira pessoa e creio que essa foi a escolha mais acertada de Karen, talvez o livro não fosse tão agradável se escrito em terceira pessoa, como eu disse Vívian não é perfeita e sendo ela a pessoa quem nos conta a história é possível se identificar.

Durante o livro a autora não nos leva apenas ao ponto que queremos descobrir do livro, ela alterna entre presente e o passado e assim nos da as peças necessárias para tentar entender a vida de Vívian e onde a história está nos levando. Como disse é possível tentar descobrir, mas o livro é surpreendente e é praticamente impossível descobrir o que nos aguarda.

O final do livro é surpreendente e lindo, daqueles que faz os mais sensíveis chorar. Depois de um livro inteiro de mistério e suspense, Karen nos presenteia com um final muito bem elaborado e que junto com o resto do livro passa uma linda mensagem, não por ter uma "moral", mas por mostrar um grande desenvolvimento dos personagens.

Enfim, se você gosta de suspense, mistério e terror, o livro é mais que recomendado, mas se você não costuma ler o gênero, aconselho que dê uma chance para Alameda dos Pesadelos, o livro vai além disso e como disse é bem escrito e bem desenvolvido, ótimo para quem não está acostumado com histórias do tipo.




Blogueiros sempre dizem que resenhar um livro que não agradou é difícil, mas resenhar um livro que gostou muito não fica muito atrás no nível de dificuldade. É duvida na hora de dar nota, o medo de alguém julgar por ser um autor com quem você tem um certo contato e de não falar tudo o que quer ou não convencer o leitor de que o livro é realmente bom. Por isso quero agradecer a Karen Alvares por escrever um livro tão bom que fez dessa resenha algo difícil e por ser sempre simpática, seja aqui no blog ou em nossa fan page, espero ter convencido vocês de que Alameda dos Pesadelos vale a pena e até a próxima postagem.
 

Nos acompanhe:

Instagram: @blogpagina394
E-mail: pag394@outlook.com

Um comentário:

  1. Sabe quando você precisa tirar uns minutos pra você? Foi o que eu precisei fazer após ler essa resenha. Já me emocionei com várias resenhas de blogueiros e comentários de leitores ao longo desse mais de um ano da publicação de Alameda dos Pesadelos, mas essa resenha, em especial, me fez chorar compulsivamente. É maravilhoso saber que algo que você escreveu divertiu e fez uma pessoa passar um bom tempo de leitura, mas o que você, Carol, descreveu ao longo de toda essa resenha foi além: as palavras não foram apenas sobre técnica, escrita e personagens, mas sim carregadas de sentimento, algo que você disse que as minhas palavras, a história desse livro, despertaram em você. E isso voltou pra mim na forma dessa resenha linda. Carol, eu nem sei como te agradecer por todo esse carinho. Muito, muito obrigada! <3

    ResponderExcluir

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram